quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

(insônias)

Ela não me olha nem me toca. Há uma camada de ar espessa entre os corpos. Mas a insistência é maior. Afasto com os gestos a névoa que tenta impedir-me de enxergar. O frio tenta apoderar-se do corpo nessa época, mas não é o bastante. Persigo seu olhar, e ao encontro...
- Eu preciso saber...
- O quê?
- Não posso ficar sem saber...
- Eu te digo...
- Por quê... por quê... estamos... juntos?
Um leve silêncio flutuou, pousando sobre a mesa úmida.
- Por quê? Queres saber?... Porque um mais um continua sendo um... Ou talvez a lógica matemática não sirva para explicar... Porque todas as cores juntas se tornam algo como a luz... Mas isso não te responde... Respondo que é uma música que não precisa de ondas sonoras, nem de notas, nem de ouvidos... Não faz sentido... Então não há resposta... Nem racional, discursiva, matemática... Estamos juntos unicamente porque não poderíamos estar em outro lugar... Nem ser de outra maneira... Porque o Ser e a vida são, aqui e agora... eu e você... e mais nada...

4 comentários:

Samis disse...

e não deixar que o medo seja maior
que o que há
puxe pra perto
o que perto quer estar

Lii Schuede disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lii Schuede disse...

Tão lindo o amor inexplicável.

Poma Vaiolex disse...

E tão simples o que não tem explicação.