quarta-feira, 21 de outubro de 2009

(é)


E se o mundo não for assim tão
sombrio? (é)
Disciplinar
os olhos a não procurar,
fazê-los ver
a paisagem e os rostos
com fantasia
desfrutar e não
querer nada além
do que há.

Domesticá-los,
fazer do ardor uma forma
de sinfonia
de um trompete vermelho
e uma alfaia de concha do mar
Uma procissão à meia-noite
atravessando a constelação
dentro do olhar
que é
e mais nada.

(E se chover? - Dois em um - uma música)

Um comentário:

V disse...

Gostei do seu blog!

:)

http://o-quasar.blogspot.com/