quarta-feira, 23 de setembro de 2009

amplo

Abriste minha caixa de pandora,
os vultos desnudos correm agora soltos,
deixo-os fluir pelo meu corpo,
vejo-os agir sobre meus gostos...

Verborragia interna que não se pode
mais conter nem calar, explode
em minha mente tantas longas frases
que mostram para ti minhas incontáveis fases

Em palavras irei reinventar minha vida
Cada lembrança dilapidarei, querida
E os sentimentos se reverterão em sentenças
poéticas, prosaicas, imensas...

2 comentários:

Fernandes disse...

Eu virei sua mesa!



[e em cima, recém-chegada havia uma dose...]

Functional Electronic Humanoid disse...

...vivas!