quinta-feira, 10 de setembro de 2009

o passarinho

O que passará? O quê(,) passarinho?
Até os fios estão distantes
Mas ele espera sem saber
N´uma tensão de sangue
N´uma hora de dormir
E ainda pode ver as primeiras horas
Daquela manhã atrás das dunas
Procurando exausto
dois (ou duas brumas)
.
O que vês aí de cima(?),
conte-me, não posso ver
Tão baixo no meu chão
Meu vazio pulmão
Queria ouvir o teu canto
Tua voz fina de passarinha
Tua risada ofegante
teu fôlego faltar
queria ver o que vês
O que vês aí de cima...

2 comentários:

Fernandes disse...

Eeeeeei, quem dera eu tivesse voz de passarinha. Tenho voz de pata, fato!

Rodrigo Nazca disse...

minha andorinha migratória